O uso de ferramentas de métricas e suas diversas aplicações foram os temas do WAW Rio de setembro, realizado na última quarta-feira, no auditório da ESPM-RJ. Com a participação de profissionais e estudantes da área, o encontro proporcionou um rico diálogo em torno de estratégias de medição, assim como a apresentação de casos de estudo e a utilização dos programas mais conhecidos do meio.

Logo no início do evento, Ruy Carneiro, sócio-diretor da WA Consulting e Presidente do Comitê de Web Analytics do IAB Brasil, empolgou todos os presentes com sua experiência e situações vividas ao longo de sua carreira em Web Analytics. Em especial, falou sobre as inovações do Google Universal Analytics. A principal novidade do software torna possível acompanhar as ações do indivíduo fora do ambiente online, com conversões “offline” e em tempo real.

A partir deste cenário, Ruy apontou para uma mudança de patamar do GA. Agora não serão apenas análises e números e sim, negócios. “O principal mote do Universal Analitycs é o acompanhamento por cliente. Além dos dados do site, também teremos acesso ao comportamento do cliente no ponto de venda. É outro tageamento, outra concepção”.

Outro item destacado por Ruy é a possibilidade da métrica personalizada. A opção de criar acompanhamentos de medições e parâmetros não disponíveis na plataforma do Google Analytics será o grande hit daqui pra frente.

Na segunda parte do encontro, Diógenes Passos, coordenador da área no portal Globo.com, falou sobre os pontos que devem ser abordados quando vai se pensar em uma estratégia de análise. Volume médio, fonte de dados, granularidade e outros itens devem ser levados em consideração antes de se desenhar um plano de métricas.

A mídia vídeo foi ressaltada por Diógenes como o carro chefe da Globo.com. O coordenador ponderou sobre a eficiência do GA na medição deste tipo de conteúdo. “O principal asset do portal é o vídeo, o carro chefe da casa, sempre com conteúdo original e de qualidade. O volume da Globo em relação a vídeos é muito grande. O GA não atende agora, e não vai atender no futuro. A ferramenta depende muito do uso”, afirmou Passos.

Ainda sobre medição, o coordenador lembrou que a eficiência da análise é qualitativa, e não quantitativa. Mesmo que se tenham condições de medir tudo. “A home da Globo.com é um canhão de acesso, então a medição se torna fundamental. No nosso caso a gente observa os clicks nos menus, nas matérias, uso da busca, widgets e clima e etc. E não é porque da pra medir tudo que vamos medir tudo. Sim, é divertido medir o scroll, mas nem sempre necessário”.

 

Confira abaixo as apresentações dos palestrantes: